Hoje temos connosco uma das caras mais conhecidas e também um dos mais carismáticos membros da Electronik Generation, o “guerreiro” irreverente e incontornável Tiago “^pkp^” Príncipe.

1 – Boa noite ^pkp^, antes de mais é um enorme prazer para nós ter-te nesta edição do Meet the Generation, para quem ainda não te conhece, conta-nos um pouco sobre ti?
R: Boa noite a todos, para mim é um prazer ceder uma entrevista à organização Electronik Generation que me acolheu com carinho à cerca de 3 anos atrás e como tal nunca antes houve oportunidade de ceder a público algumas informações sobre a minha pessoa. Chamo-me Tiago Príncipe, tenho 26 anos, sou do Porto e estou ligado à Electronik Generation na modalidade de Counter Strike Global Offensive, em que desempenho as funções de Manager/Staff. Sou uma pessoa carismática, que por personalidade própria tem como mentalidade ser o melhor, tendo em conta que quem me conhece ou trabalhou comigo sabe que dou sempre o melhor de mim. Sou uma pessoa extremamente direta, por vezes até de mais, o que por vezes cria alguma expectativa no meio da scene portuguesa de CS:GO, entendendo sempre que as minhas atitudes são no âmbito de dar o melhor de mim. No geral estou sempre disposto a ajudar sempre a comunidade portuguesa no que posso e na minha vida pessoal sou exatamente igual.
2 – És conhecido como um “guerreiro”, às vezes até com alguma excentricidade nos teus comentários, o que nos tens a dizer sobre isto?
R: Não me quero intitular de nada, apenas faço o que me vem na alma, ajudando sempre o próximo, mas como tudo na vida, as pessoas têm personalidades, e a minha personalidade é assim, ser direto, impactante no que acho ser justo ou injusto. Por vezes vejo alguns comentários desagradáveis ou até mesmo sem sentido nenhum referentes à minha pessoa, mas lido bem com isso, porque maior parte das vezes creio que sejam interesses de algumas pessoas que trabalham no ramo ou até mesmo que não entendem o porquê desses meus comentários. Contudo digo o que citei durante anos, vivemos numa democracia, sendo que devemos nos respeitar uns aos outros, ter união e isso pouco acontece por vezes, nós comunidade portuguesa de desportos electrónicos sofremos por vezes com estes tipos de situações, mas a melhor forma é virar a página porque isso vai constantemente acontecer, uma vez que somos nós que temos as mãos na massa, digamos.

3 – Qual achas que é a importância do grupo de staffs coeso dentro de uma organização de Desportos Electrónicos?
R: Acho que é uma das coisas mais importantes a se definir numa organização, uma vez que sem um grupo de trabalho coeso, as tarefas necessárias de desempenhar dentro de uma organização nunca serão avançadas e desempenhadas com o devido sucesso, ou seja, as organizações nunca vão evoluir sem estes.

4 – Dá muito mais trabalho do que parece ser uma das caras de uma organização de esports, mas também tem coisas boas. Queres contar-nos alguns bons momentos que tiveste em eventos ao vivo com os nossos jogadores?
R: Sinceramente dá muito mais trabalho, pois temos que lidar com milhares de pessoas e temos que erguer uma organização dia após dia e isso é uma responsabilidade enorme que temos nas nossas mãos, mas com gosto tudo se faz. Alguns dos momentos mais marcantes que tive em eventos ao vivo posso contar alguns como a Famalicão Extreme Gaming 2017 que achei um sucesso, orgulhar me de ver os meus jogadores a lutar unidos contra a organização dos Alientech Esports nas meias-finais, em que sempre que perdiam rondas batiam os seus punhos de forma a auto motivarem-se, chamo isso a garra de vencer e outra das situações foi nesse preciso evento em que no final da competição os jogadores, entre eu também cumprimentam-se mostrando respeito mútuo.

5 – A paixão por esports já vem de há muitos anos? Fala-nos um pouco do teu percurso nos esports?
R: Sim, já vem desde que tinha 11 anos. O meu percurso nos esports começou dentro da plataforma das comunidades, a primeira em que me inseri foi engraçada, que se chamava Imperio de Elite, onde conheci milhares de pessoas que algumas delas ainda hoje mantenho contato, mas como tinha ambição de mais, comecei a procurar novas formas de me aprofundar nos desportos eletrónicos, resolvendo fundar uma organização chamada World Of Games com dois grandes amigos meus (Pregos e Canero69). Esta organização deu resultado ao inicio, mas com o tempo senti que as coisas não avançavam para o que eu pretendia e assim recebi uma proposta do jogador que atua neste momento nos Hexagone Esports, o Renato “RenatoooHaxx” Gonçalves para me juntar a ele e à sua equipa como Manager, na altura estavam nos K1CK Academy, em que os consegui transferir para a organização dos Northern Grade, também não correu nada bem devido a problemas internos com o Staff da organização. Por fim consegui a transferência final para os Electronik Generation, em que atualmente mantenho os meus serviços, a equipa acabou passado alguns meses e eu recebi a proposta para ser manager de CS:GO, que com o tempo me torneio responsável de secção da modalidade.

6 – E a Electronik Generation? Também é uma paixão ou ainda é só uma amante?
R: Todos sabem a paixão não só pela organização dos Electronik Generation, como também pelos desportos eletrónicos.

7 – Esta pergunta vem do resto do staff da Electronik Generation, mas quando pagas uma Francesinha no porto ao resto do staff? Já agora, sabes fazer uma boa francesinha, ou preferes ir comprar fora de casa?
R: Como sabem, o Porto é a minha cidade do coração, a cidade Invicta, a cidade das melhores francesinhas do mundo para mim. Quanto ao pagar uma francesinha está fora de questão, porque quem me conhece, sabe que gosto que me paguem e não eu pagar :P, mas como tudo na vida a francesinha feita em casa para quem a sabe fazer também é sempre uma excelente opção e não nego nenhum convite por vossa parte.

8 – Não sendo um jogador, quais as tuas expetativas e objectivos pessoais futuros nos esports?
R: Esta pergunta é bastante interessante, sendo que maior parte da comunidade também se questiona sobre este tema quando se fala em manager. Eu tenho resposta simples sobre este tema, o manager não só trabalha lado a lado com os seus jogadores, como transmite segurança aos seus jogadores, viajando ao lado deles, acompanhando-os
para todo lado e transmitindo o que eles precisam para se sentirem calmos face às questões burcráticas. Os meus objetivos pessoais futuros são acima de tudo chegar a ser seleccionador nacional, haver uma federação portuguesa que faça os regulamentos em condições, trazer aos desportos eletrónicos a realidade para os Managers terem as ferramentas para avançar com os processos de transferências de jogadores nas diversas modalidades. O que quero dizer com isto, é que existem múltiplos objetivos futuros para as funções que desempenho, tranquilizando-me desta forma assim, pois futuramente isto será uma realidade inevitável.

9 – Ao longo dos anos já trabalhaste com vários jogadores, já formaste alguns deles e sabemos bem que tens muito orgulho de alguns terem começado contigo em academias e hoje estarem a competir ao mais alto nível. Qual foi o jogador que mais te surpreendeu e porquê?
R: Sim, tive vários e todos foram brilhantes, mas irei citar 4 que me deixaram bastante orgulhoso não só pelos seus percursos, mas também pelas suas personalidades. Então, em primeiro refiro o Renato “RenatoooHaxx” Gonçalves, que foi sempre um jogador com imensa disciplina e com um percurso de vencedor e quem me deu oportunidade para que a minha carreira fosse construída, em segundo menciono o Cristiano “casN” Novais que para muitos por vezes é desvalorizado, mas que em opinião própria é um jogador chave para qualquer equipa, alcançando sempre o sucesso nas equipas em que foi inserido, em terceiro o João “Zavy” Mendes que a olhos de muitos no inicio não foi valorizado por a sua personalidade tímida, mas que considero uma pessoa valente por nunca ter desistido de chegar lá em cima e por ultimo o Guilherme “Sunstyler” São Pedro, atualmente jogador dos Electronik Generation pela sua persistência e dedicação aos seus sonhos, que de todos passou as piores fases que um jogador pode passar, mas nunca desistiu, um dos maiores exemplos nacionais a meu ver.

10 – Qual seria neste momento o teu 5 man roster para o futuro? Aqueles jogadores que acreditas que no futuro vão ser sensacionais na scene nacional de Counterstrike GO?
R: Hmmm, essa pergunta é para testar aos meus conhecimentos ou para revelar quem serão os prodígios futuros de Portugal daqui a médio prazo?
Agora a sério, se pudesse fazer a Dream Team de jogadores para o futuro de Portugal diria krush, Twixy, nopeeJ, pr e hidden

11 – Fala-me do inicio da Superliga Portugal, como vês a equipa e o que esperas do nível de competição em Portugal este ano?
R: A equipa é recente, mas ao mesmo tempo bastante experiente, inclusive alguns já mantinham contato em algumas faceits e picks, no entanto aponto que somos capazes de chegar ao pódio este ano, confio plenamente no potencial que este quinteto tem, pois a maior parte já trabalhou comigo no ano passado, mesmo estando desmotivados no ano passado, na minha opinião, este ano tenho firme certeza que as Abelhinhas vão fazer bastantes estragos. Agarrem-se todos :P.

12 – ^pkp^, foi um prazer estar contigo hoje, queres deixar algumas ultimas palavras?
R: Sim, quero agradecer especialmente à Electronik Generation por me entrevistar e a todos que sempre me seguiram e apoiaram #pkpfamily, e deixar uma mensagem a todos os que lerem esta entrevista: “Nunca desistam dos vossos sonhos. Se eles acabaram numa padaria, procurem em outra”.

 

#BeEGN #ChallengeTheFuture #Entrevista #pkp #CSGO

Tiago Principe
Março 5, 2018
Tags: , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *