Bret Robbins, director criativo do jogo, refere em entrevista ao Mashable que “O estúdio não se quer afastar da realidade histórica da Segunda Guerra Mundial e por isso o Holocausto não pode ser ignorado”.

É desta forma que é dado a entender que a Sledgehammer Studios não pretende de forma alguma, deixar de parte um dos mais problemáticos acontecimentos da história da humanidade referente à Segunda Guerra Mundial. Durante a entrevista, é referido ainda o episódio “We fight” “Band of Brothers”. O principal destaque deste episódio é a libertação de um campo de concentração em Munique, nomeadamente o de Landsberg. É nesta referência que surge a dúvida do papel do jogador em relação a esta temática presente no jogo, pois, não se sabe ao certo se este irá ou não participar directamente numa possível libertação de um campo de concentração. Uma outra relação possível entre o jogo e Landsberg remete-se ao facto de Hittler estar preso em 1924 nessa mesma cidade, sendo este o local onde escreveu o famoso livro “Mein Kampf”.

Call of Duty: WW2 tem o seu lançamento agendado para dia 3 de Novembro para  PC, XboxOne e PS4.

Tiago Principe
Maio 8, 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *