À uns dias atrás tive que visitar a nossa linda cidade do Porto para tratar de alguns assuntos. Por entre os meus afazeres encontrei-me com algum tempo extra. Apesar de esta cidade ter muito para oferecer no que toca a entretenimento, pensei que melhor era mesmo ligar para um dos organizadores de torneios da comunidade Smash Bros. Portugal e assim aproveitar para ficar a conhecer mais sobre este grande grupo de amigos. É que quando era mais jovem eu fui um autentico fan da Sega. Mega Drive e Sega Saturn foram a minha paixão durante anos e nunca me conformei com a derrota da minha produtora favorita. Portanto desde que soube que existia um jogo em que eu podia pegar no Sonic e espancar o Mário fiquei super curioso em o conhecer. Um rápido telefonema para o António “Daiki” Rocha e em poucas horas ele recebeu-me muito bem em casa dele onde por entre umas batalhas pude ir fazendo umas perguntas sobre a comunidade portuguesa de Smash Bros. Para minha satisfação o Sonic espancou o Mário sem só nem piedade. Infelizmente eu é que estava a controlar o Mário .

Resultado de imagem para sonic vs mario

 

Bem, combates entre ouriços cacheiros e canalizadores  à parte, fica aqui com algumas das questões ás quais o António me respondeu :

Antes de mais, eu tenho que confessar uma coisa. Eu só sei que Smash Brothers é um jogo de luta com plataformas onde o Sonic pode finalmente bater no Mario. Como é que descreverias o jogo a alguém que como eu não sabe bem o que o jogo é ?

António : Descrever Smash a alguém que não conhece não é algo fácil, se tentar simplificar ao máximo sinto que não estou a ser justo com o que o jogo oferece. Por isso acaba por ser mais fácil, caso tenha oportunidade, mostrar o jogo e metê-los a jogar. Mas para quem está a pegar no comando pela primeira vez pode ser extremamente confuso perceber o que está acontecer e o que fazer, embora que a nível casual não há tanto este problema.

Smash Bros. Portugal é uma das comunidades já com uma longa historia, mas antes de ter este nome a comunidade era conhecida por outros nomes. Podes contar-me um pouco sobre a sua historia ?

António : Antes de Smash 4 ter saído já havia um pequeno grupo que se reunia no smashboards.com , o forum mais conhecido a nível mundial para Smash, e surgiu porque um jogador Dinamarquês passou por Portugal em 2008 na altura em que tinha saído Smash Bros Brawl. Ele notou que ainda não havia competição cá e graças a ele surgiu o tal pequeno grupinho. Após bastante tempo em 2014, graças a saída de Smash 4 para a 3ds este pequeno grupo fez uma página de Facebook chamada “Super Manos Smash” para poder jogar uns com os outros mais facilmente. Mas não foi o único grupo a surgir, também houve a criação do “Super Smash Bros. PT” que também tinham a mesma ideia.Em 2015 decidiu-se que não fazia sentido haver dois grupos de smash a fazer a mesma coisa então juntaram se os dois e assim surgiu finalmente “Smash Bros. Portugal”.
 
Ou seja esta comunidade já existe à cerca de uma década. Nesse anos todos quais foram na tua opinião os maiores momentos da comunidade ?

António : Vou falar de dois momentos, o primeiro é algo mais pessoal,  que foi o primeiro torneio que organizei. Em si o torneio pode não ter sido a melhor coisa do mundo, mas é algo importante para mim, tive uma ideia e pus mãos à obra, falei com pessoas sobre o torneio que me poderam ajudar a torná-lo realidade e depois de algum esforço nasceu o primeiro torneio de Smash Wii U competitivo no Porto (fora dos eventos como Iberanime) e isto é algo que vou recordar sempre. O segundo momento já é algo que se perguntar a outros membros da comunidade certamente vão dizer a mesma coisa, estou a falar das Grandes Finais do Lockdown 2016 ( o maior evento de fighting games do país) , para quem teve a possibilidade de assistir ao vivo como eu viu provavelmente um dos melhores sets até à altura de Smash Competitivo em Portugal, se pergunta se a alguém no dia quem esperava ver nas finais quase de certeza que não respondia MikeMostan, mas batendo todas as expectativas ele chegou ao palco das finais e por pouco não tirou o primeiro lugar ao que era na altura considerado o melhor jogador do país.

Com tantos anos de actividade decerto que vieram muitos torneios e ainda mais batalhas mas apesar de todos os obstáculos a vossa comunidade continua junta. Com tanta experiência acumulada, que concelho é que achas que poderias dar á outras comunidade mais recentes ?

António : O que eu posso dizer para comunidades mais novas é que enquanto houver paixão pelo jogo não desistam. Falem entre vocês, criem amizades, muitos de nós aqui no Smash Bros. Portugal criamos grandes amizades, já fomos a casa uns dos outros, viajamos juntos e dormimos debaixo do mesmo tecto, já nos conhecemos bem, sentimos-nos à vontade, sentimos-nos em casa, e acho que isso é um factor importante em qualquer comunidade, fazer que toda a gente, independentemente de onde veio, se sinta em casa.
Pelo que sei o jogo existe quer para a Wii U quer para a 3DS, como e que fazem conciliação entre as duas plataformas ?
António : Felizmente as duas versões do jogo são exactamente iguais, independentemente da versão que o jogador tenha consegue jogar em torneio sem qualquer problema, até é possível usar a própria 3DS como comando na versão Wii U, por isso a conciliação é extremamente fácil .

 

Resultado de imagem para smash bros

 

Uma coisa que acho bastante interessante em relação á vossa comunidade é que vocês só fazem torneios offline. Porquê não fazer torneios online também ?

António : Há 2 razões principais para o qual realizamos torneios offline em vez de online, o primeiro, infelizmente, é o facto de o netcode de Smash Bros. ser muito instável, e ninguém, em qualquer jogo, gosta de jogar com lag. Segundo, ao estar no local promove maior convívio, a comunidade fica mais próxima, criam-se amizades e rivalidades. Há uma dinâmica maior ao competir um ao lado do outro do que em casa a quilómetros de distância

Mesmo assim, se não estou em erro, vocês fazem torneios todos os messes quer no Porto , quer em Lisboa. Como é que costuma ser a aderência nestes torneios ?

António : Os nossos últimos torneios terem tido entre 15 a 20 jogadores, mas já chegamos a ter torneios com 30 a 40. Escola e trabalho entre outras razões podem dificultar a presença dos jogadores, já tivemos varias vezes pessoas a dizer que não puderam vir porque tinham de estudar, outra razão pode ser a dificuldade de transportes. Mas acho que ao fim do dia uma coisa é certa, todos vêm para se divertir juntos num jogo que gostam e por isso  o que importa é o pessoal divertir-se a jogar, por isso mesmo que o torneio não seja enorme tentamos fazer sempre que toda a gente se divirta.

Uma comunidade que não cresce acaba por morrer e com tantos anos de existência vocês já provaram que sabem como o fazer. Qual é o segredo , o que é que têm feito para continuarem sempre a evoluir ?

António : Temos tentado aumentar ao máximo a nossa voz para chegar mais longe, em  eventos grandes como Iberanime e Comic Con temos metido cartazes e panfletos com contactos das redes sociais da comunidade, temos tido recentemente também ajuda da Magicshot para partilhar os nosso eventos.

Bem isso tem sido sem duvida eficaz, porque para além de estarem sempre a atrair novos jogadores, vocês já atraíram a aposta de algumas multigamings. Que impacto que elas tem tido ate agora ?

António : Ainda não conseguimos medir bem com certeza o impacto que elas tem tido, mas já se consegue ver algo.Por exemplo Hexagone eSports ajudou os seus jogadores para irem a um torneio fora do país e, pelo que me disseram. Os Frozr ajudaram na entrada aos seus jogadores no último torneio em Lisboa, o que é algo extremamente positivo pois permite que os jogadores consigam ir a torneios mais vezes. Outro coisa que temos visto é estas mesmas equipas partilharem os resultados nas redes sociais e nos seus sites o que ajuda sempre para fazer chegar Smash a mais pessoas.

Segundo o que me foi dito, é raro existir um torneio em que os jogadores do Norte possam jogar contra os jogadores do Sul. Suponho que isso crie uma certa rivalidade entre Norte e Sul . Será que isso é positivo ?

António : Sim, aliás, eu pessoalmente gosto de provocar esta rivalidade entre Norte e Sul, na minha opinião ao promover esta rivalidade entre zonas é saudável para o crescimento dos jogadores, quando houver um nacional com participação de norte e sul eles vão querer provar quem é realmente o melhor mas para tal eles têm de estar preparados.

Existem rumores de um novo Smash Brothers para a Switch . Se isso vier a acontecer, tendo em conta a popularidade da consola actualmente e também o seu preço, que impacto isso poderá a vir a ter na vossa comunidade ?
António : Honestamente um novo jogo para a Switch é uma faca de dois gumes. Por um lado é positivo pois pode vir a trazer mais pessoas novas, por outro estamos a falar de os jogadores activos e organizadores a gastar por volta de 400 € na consola, jogo e comandos e, como é óbvio, nem toda a gente tem a possibilidade de gastar tanto dinheiro de uma vez.
Pedro Ferreira
Março 30, 2017

2 comments on “Entrevista ao António “Daiki” Rocha da Smash Bros. Portugal

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *